A FITA AMARELA


O jornaleiro

por Talis Andrade

Quando eu morrer não quero choro nem vela
quero uma fita amarela gravada com o nome dela

Quando eu morrer vou encontrar Carlinhos e Capiba
compondo versos de excelência para os bem-aventurados
que chegaram ao céu

Onde anda ela
Dizem que casou
passa o dia limpando a casa
lavando roupas e panelas

Boa de forno e fogão
onde anda ela
Dizem que passa o dia na janela
Nem hoje sabe a importância
de uma fita amarela gravada com o nome dela

Ver o post original

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s