O PANTEÃO


poema de Talis Andrade

No azul do céu
nas flores
nos frutos
no vinho generoso
da videira sagrada
a lembrança

Nos verdes gramados
na neve branca
em cada pedaço
do sagrado chão
definitivamente gravado
o nome

Cada recanto da Pátria amada
porque lhe foi negado
um campo santo
guarda
o corpo

O panteão de García Lorca
o coração d´Espanha

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s